Revista do Turismo – Negócios e Eventos

Portugal oferece roteiro para os amantes dos vinhos verdes

A Região dos Vinhos Verdes é uma das mais importantes do mercado de Portugal. Por ter diferenças climáticas significativas e solos graníticos em sua maior parte, é bem diversa e produz vinhos de muitos estilos e possibilidades, capazes de agradar aos mais diferentes – e exigentes – gostos.

O conjunto de montanhas e vales cortados por rios também é responsável pela grande variedade de uvas típicas, entre as quais se destacam as brancas alvarinho, loureiro, arinto (também conhecida no local como pedernã), azal, trajadura e avesso; e as tintas vinhão e alvarelhão. 

Terra fértil

Responsável por 15% da área vitivinícola de Portugal, a região foi demarcada em 1908 e se estende por todo o noroeste do país, na zona conhecida como Entre-Douro-e-Minho. Esta terra fértil é coberta por uma exuberante manta de vegetação, montanhas e vales até avançar o mar. 

Diversidade

A versatilidade é outro ponto importante. Aos brancos de perfil jovem e fresco, se juntam mais vinhos de caráter intenso e estruturado, também tintos de perfis que vão dos mais abertos em cor, leves e delicados, aos mais escuros, impenetráveis, estruturados, mas igualmente escorados por uma acidez firme que agrega um inconfundível frescor aos vinhos. 

A região dos Vinhos Verdes também é berço de espumantes de alta qualidade, cujo perfil se assemelha ao dos vinhos tranquilos: muito frescor e uma interessante complexidade na boca.

Indicação Geográfica

Os rótulos são certificados pela Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV), organismo que tem por objetivo representar os interesses das profissões envolvidas na produção e comércio da Denominação de Origem (DO) “Vinho Verde” e da Indicação Geográfica (IG) “Minho” e na defesa do patrimônio regional e nacional.

Gastronomia

Produtora de azeites e mel, a Região dos Vinhos Verdes também se destaca pela riqueza e qualidade da gastronomia. Pratos clássicos da culinária regional, como o cabrito, rojões à minhota, arroz de cabidela, bacalhau à Braga e papas de sarrabulho são alguns dos mais famosos. Isso sem falar na típica Lampreia, peixe de sabor forte e inconfundível, uma das grandes iguarias da culinária mundial. 

Para mais informações, clique aqui.

 

Equipe RT

Os comentários estão encerrados.

Instagram