Revista do Turismo – Negócios e Eventos

Burocracia na saúde prejudica turismo no Chile

O prazo de 30 dias para a aprovação, via Internet, da vacinação contra a Covid-19, que é uma exigência do governo do Chile a todos os estrangeiros que planejam viajar ao país, tem prejudicado o turismo local.

“Isso faz com que o Chile seja descartado das opções de viagem”, disse o presidente da Associação de Hoteleiros do Chile, Alberto Pirola . “Somos o único país a pedir isso!”, afirmou Helen Kouyoumdjian, vice-presidente executiva da Federação das Empresas de Turismo (Fedetur).

O Chile abriu suas fronteiras ao turismo em 1º de novembro. Até o momento, é considerado um dos países da América do Sul que apresenta as melhores condições para atrair turistas , devido ao seu alto índice de vacinação e à baixa circulação do vírus da Covid-19.

No entanto, destacou Pirola, “abrir fronteiras nestas condições é inútil. Como empresário, não tenho reservas de estrangeiros desde a reabertura”. O problema, segundo ele, é a homologação online das vacinas.

Representantes do setor turístico do país já iniciaram uma mobilização para acabar com a burocracia do sistema de saúde.

 

Fonte: Hosteltur

Foto: Santiago do Chile/Pixabay

Equipe RT

Os comentários estão encerrados.

Instagram