350-018 - C4040-250 - 810-403 - 810-401 - 810-403 - 810-401 - 70-486 - 200-310 - 300-101 - 300-101 - 400-201 - 70-347 - ADM-201 - 300-208 - ADM-201 - 300-208 - EX200 - 400-051 - 70-461 - 400-051 - 70-461 - MB2-707 - 300-070 - 200-120 - 200-120 - 300-320 - 300-115 - 400-101 - 70-346 - 70-346 - 70-480 - 300-075 - 210-060 - SY0-401 - 210-060 - SY0-401 - M70-201 - HP0-S41 - 100-101 - HP0-S41 - 100-101 - MB2-702 - 101 - 70-488 - 101 - 70-488 - MB2-701 - CISSP - 640-554 - 640-554 - AWS-SysOps - N10-006 - CCD-410 - 210-260 - CCD-410 - 210-260 - MB5-705 - 70-483 - 70-486 - 200-310 - 300-101 - 400-201 - 400-201 - 70-347 - ADM-201 - 300-208 - EX200 - EX200 - 400-051 - 70-461 - MB2-707 - 300-070 - 300-070 - 200-120 - 300-320 - 300-115 - 400-101 - 70-346 - 70-480 - 300-075 - 210-060 - SY0-401 - M70-201 - SY0-401 - M70-201 - HP0-S41 - 100-101 - MB2-702 - MB2-702 - 101 - 70-488 - MB2-701 - CISSP - HP0-S41 - 100-101 - MB2-702 - 101 - 70-488 - 640-554 - AWS-SysOps - N10-006 - CCD-410 - 210-260 - MB5-705 - 70-483 - MB2-701 CISSP 640-554 AWS-SysOps N10-006 CCD-410 210-260 MB5-705 70-483
Chapada Diamantina: da cultura garimpeira ao turismo de aventura - Revista do Turismo Chapada Diamantina: da cultura garimpeira ao turismo de aventura - Revista do Turismo

Chapada Diamantina: da cultura garimpeira ao turismo de aventura

chapada-diamantina_770x355
Post por: 28/05/2018 0 comentários 48 views
Compartilhe com amigos.

A Chapada Diamantina, localizada no coração da Bahia, foi uma importante área de extração de diamantes. O território contém inúmeras grutas alagadas, cachoeiras, cânions e mirantes naturais. Considerada um oásis no sertão nordestino, possui temperaturas amenas e reduto para as nascentes.

Da exploração de minérios às mais diferentes formas de turismo, a Chapada ficou conhecida mundialmente pela sua beleza cênica. A cultura garimpeira marcou a sua história junto com tantas outras, dando ainda mais sentimento, sabor e identidade ao local.

Com uma rica arquitetura, sendo grande parte, tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o lugar é um reduto de ligação cultural entre nativos e turistas de todos os cantos.

A Chapada Diamantina é a Sede do segundo maior parque nacional do Brasil e também o berço para espécies de plantas e animais exclusivas. O destino recebe milhares de visitantes todos os anos, ansiosos por experimentar os diferentes atrativos das localidades que compõem a região, com direito a uma bela dose de adrenalina, afinal, não é à toa que a Chapada Diamantina é referência no turismo de aventura no Brasil.

Agora é hora de viajar para este lugar incrível e conhecer sua cultura e história. Programe sua viagem e desfrute do que há de melhor desse belíssimo destino.

A Chapada Diamantina possui uma enorme área silvestre. Por isso, é necessário que o viajante esteja acompanhado por alguém que conheça bem cada lugar e que tenha treinamento em primeiros socorros.

Em vista da dimensão do território da Chapada Diamantina e das grandes distâncias que existem entre os principais atrativos naturais e as cidades turísticas, programar uma viagem para a região requer uma atenção especial. Confira abaixo:

 

Escolha da cidade

A infraestrutura turística está instalada nos municípios de Lençóis, Mucugê, Andaraí, Ibicoara, Palmeiras, Rio de Contas e nas vilas de Igatu e Vale do Capão. Por isso, é indicado escolher essas localidades para ficar hospedado e a partir daí se organizar para conhecer os atrativos, espalhados de norte a sul.

Dica para evitar problemas ao conhecer os lugares

Para evitar perda de tempo nas estradas, o ideal é pesquisar o que deseja conhecer antes de reservar sua hospedagem.

O que fazer na região

Atualmente, diversas agências oferecem opções de roteiros para que os turistas desfrutem dos atrativos. Os roteiros variam de um a oito dias e oferecem pontos turísticos localizados no entorno do Parque Nacional da Chapada Diamantina. Pacotes completos com passeios e hospedagem, podem ser adquiridos pela internet no site das agências ou quando o visitante chega ao destino.

Quanto ao esforço físico

Na Chapada Diamantina, os passeios tendem a diferentes níveis de esforço, podendo ainda ser adequados ao perfil de cada pessoa. Os guias turísticos garantem que quem decide o ritmo da caminhada é o próprio turista e nas trilhas de percurso mais longo, são disponibilizadas a contratação de uma pessoa capacitada para levar as bagagens.

Melhor época para viagens

Devido ao clima semiárido, o sol é predominante durante todo o ano, com poucos períodos de chuva, contribuindo para o viajante escolher a época mais conveniente para si.

Tempo indicado para visitas

O tempo mínimo recomendado para visitar a região é de quatro dias e o ideal é pelo menos sete, período imprescindível para conhecer os pontos turísticos mais famosos.

Para quem vem de ônibus ou avião

Para se deslocar de uma cidade para outra não é aconselhado contar com transportes intermunicipais, pois eles não possuem um horário regular. A melhor opção é alugar um carro ou fechar um pacote com uma agência.

Para quem vem de carro

Nesse caso, o turista tem mais liberdade para se organizar e também programar o próprio roteiro. Antes de viajar de carro, o ideal é procurar estudar o que mais gostaria de fazer para traçar melhor o seu itinerário.

 

As informações sobre pacotes, preços e tarifas, aqui, contidos são de inteira responsabilidade das empresas e estão sujeitos à alteração sem aviso prévio.

RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Quer receber nossa newsletter?

Digite seus dados e fique por dentro de tudo o que acontece no trade